A Carregar...
Por favor aguarde...

Cuidados Continuados: Uma área em crescimento

6 FEV 2018

Apesar da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI), em Portugal, ter sido fundada em 2006, só a partir do ano passado é que foram criados projetos e implementadas medidas que, não só vieram impulsionar os Cuidados Continuados, como também criaram a necessidade de haver mais recursos humanos especializados nesta área.

 

Através da portaria 68/2017, lançada em Diário de República, é possível perceber que o estado português assume como prioridade a expansão e melhoramento da RNCCI, através da celebração de contratos-programa com entidades integradas ou a integrar na área específica da saúde mental e dos cuidados continuados.

 

Imagem Blog: 5a79caaa4e056-910x607.png

 

Neste sentido, foi já anunciada a criação de 366 lugares na RNCCI para pessoas que sofrem de doenças mentais. O processo, que terá inicio a 1 de março deste ano, irá permitir a reabilitação e reintegração social destes doentes, com vista à recuperação da sua autonomia e cidadania, fora dos hospitais.

No que toma a casos em particular, a região Norte de Portugal comunicou que vai aumentar a sua capacidade de resposta para cerca de 13 000 admissões por ano, devido a um investimento de 47 milhões de euros. Isto irá permitir o incremento de 404 camas nos Hospitais Senhor do Bonfim, em Vila do Conde, no Basto Vida, em Cabeceiras de Basto, no Hospital Fernando Pessoa, Gondomar, nas misericórdias de Arcos de Valdevez e de Vila Verde, no Wecare, da Póvoa de Varzim, e no Instituto São João de Deus, de Gelfa, Caminha.

Já a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa iniciou um processo de construção de uma unidade de Cuidados Continuados Integrados de Média e Longa Duração, investindo assim cerca de 3,5 milhões de euros. Esta será a primeira unidade deste tipo e com dimensões a esta escala.

Para que estes projetos sejam viáveis, é fundamental que existam profissionais, com formação qualificada e especializada na área da saúde mental, que garantam o apoio domiciliário dos pacientes. 

 

 

Conheça os principais objetivos da Pós-graduação em Reabilitação Psicossocial em Saúde Mental do Instituto CRIAP:

 

-  Promover a aquisição de conhecimentos e desenvolvimento de capacidades e competências (teóricas e práticas) no âmbito da RPS (hard skills e soft skills em RPS);

-  Qualificar os formandos para o trabalho nas equipas multidisciplinares, atuando em interdisciplinaridade, promovendo a transdisciplinaridade no resultado das intervenções;

-  Adquirir e gerir ferramentas de avaliação e intervenção, nos vários alvos de atuação em RPS;

-  Conhecer e relacionar os programas, modelos e metodologias de RPS nas Políticas e nos Sistemas da Qualidade.

 

Esta Pós-graduação tem Coordenação Científica do Psiquiatra e Psicoterapeuta Dr. Vítor Cotovio.

 

Imagem Blog: 5a79ce9447a85-1000x667.jpg

 

Fontes: Diário da República, JN, DN

Autoria: Ana Lopes (Instituto CRIAP)

 

PARTILHE ESTE ARTIGO: