A Carregar...
Por favor aguarde...

Marta Silva

Licenciada em Psicologia e Mestre em Psicoterapia e Psicologia da Saúde pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa; Psicóloga e desde 2009 desenvolve funções como Coordenadora do Núcleo de Prevenção da Violência Doméstica e Violência de Género - Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género/Presidência do Conselho de Ministros; Coordenadora do Programa de Proteção por Teleassistência a vítimas de violência doméstica; Apoio à Implementação, acompanhamento e avaliação das políticas públicas de prevenção e combate à violência doméstica e de género; Monitorização, acompanhamento e supervisão técnica da Rede Nacional de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica: Casas de Abrigo, Estruturas de Atendimento e Respostas de Acolhimento de Emergência; Formadora, coordenadora pedagógica e produtora de conteúdos nas áreas da violência doméstica, violência de género, Igualdade de Género e Não discriminação; Coordenadora de projetos nacionais e transnacionais nas áreas da violência doméstica, violência de género, Igualdade de Género e não discriminação: diagnóstico de necessidades territoriais e setoriais, conceção de projetos de âmbitos local, regional, nacional e transnacional, submissão de candidaturas a diversas fontes de financiamento nacional e comunitárias, gestão técnica de projetos e de equipas de projeto, dinamização de parcerias/articulação interinstitucional, produção de relatórios e outputs vários; Representante do estado português ao Comité das Partes à Convenção do Conselho da Europa para a Prevenção e o Combate à Violência contra as Mulheres e a Violência Doméstica; Representante nacional, enquanto perita, em organizações internacionais (Conselho da Europa, Comissão Europeia, Organização Mundial de Saúde, Instituto Europeu para a Igualdade de Género, etc.) na área da violência doméstica e da violência de género; Representante da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género na Comissão Técnica Multidisciplinar, criada pelo Governo pela Resolução de Conselho de Ministros nº 52/2019, de 28/2/2019.