A Carregar...
Por favor aguarde...

Carlos Braz Saraiva

Foi médico psiquiatra do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (1984-2017), Chefe de Serviço de Psiquiatria (1995-2017), Professor de Psiquiatria na Faculdade de Medicina (1998-2017) e membro efetivo do Conselho Médico-Legal (2012-2017). Como docente, colaborou ainda com as Universidades dos Açores, Beira Interior e Cabo Verde. Desde o início da década de 80 desenvolveu trabalhos de investigação, a par de intensa actividade clínica, principalmente na área dos comportamentos suicidários. Nesta temática fez o seu Doutoramento em 1998 bem como a sua Agregação em 2007. Foi dinamizador das “Jornadas sobre Comportamentos Suicidários”, cuja 11ª Edição ocorreu em 2016. Outras áreas de interesse: Perturbações do Humor, Personalidade, Impulso e Psiquiatria Forense. Esta última em consonância com a experiência em Perícias de Medicina Legal. Dentro das psicoterapias denotou um particular interesse pela Cognitivo-Comportamental e pelo Psicodrama. Foi membro da direcção do Colégio de Psiquiatria da Ordem dos Médicos (1987-1995). Como cidadão, empenhou-se em causas sociais como o Telefone SOS-Telefone Amigo, tendo sido o seu primeiro Director (1986-1995). Foi ainda fundador da Consulta de Prevenção do Suicídio (1992) e o primeiro Presidente da Sociedade Portuguesa de Suicidologia (2001-2005). Foi consultor do Ministério da Saúde para a área da formação em psiquiatria e saúde mental e prevenção do suicídio (1993; 2012-2013) e do Ministério da Administração Interna para a elaboração de um programa de prevenção do suicídio nas forças de segurança (2006). Foi Vice-Presidente do VII Congresso Nacional de Psiquiatria (Coimbra, 2011). Foi co-laureado pela International Asssociation for Suicide Prevention (IASP) em 2001, num congresso mundial de suicidologia (Chennai, Índia). Publicou dezenas de ARTIGOS em revistas científicas. Apresentou centenas de COMUNICAÇÕES / CONFERÊNCIAS / POSTERS. Publicou ainda diversos LIVROS, dois deles de âmbito literário, e outros textos dispersos, como poemas, narrativas, contos, entrevistas ou intervenções em áreas-fronteira do mundo da psiquiatria. Exerce clínica privada em Coimbra.